back

Voltar

Explorar

Cascatas da Ferida Má

A diversidade de formas e de processos de formação de quedas de água

Este Monumento Natural corresponde ao troço do Rio Âncora (leito e margens), entre Montaria e Amonde (36 ha). Para além do grande valor paisagístico do local, materializado no bom reconhecimento e apelo que a área tem para a fileira turística, o geossítio preserva duas subunidades da Unidade Minho Central (metassiltitos e metapelitos da subunidade de Arga-alóctone; e xistos e quartzitos cinzentos da subunidade de Torre-Amonde-parautóctone; Meireles et al., 2014), e é uma área importante na compreensão do caráter polifásico da formação de boudins assimétricos (sheared quartz vein a stacked-fold-boudin; cf. Pamplona & Rodrigues, 2011). A área a classificar preserva várias cascatas com desnível superior a 5 m e poços (lagoas). A inflexão do curso, no setor montante, a norte de Espantar, deriva de controlo por falha (Meireles et al., 2014). Carvalhido et al. (2014)


Referências Bibliográficas:

Carvalhido, R., Brilha, J. & Pereira, P. (2014). Monumentos Naturais Locais de Viana do Castelo: processo de classificação e estratégias de valorização. Comunicações Geológicas (2014) 101, Especial III, 1219-1223

Meireles, C.; Pamplona, J. & Castro, P. (2014). Lito e tectono-estratigrafia da Unidade do Minho Central e Ocidental: uma proposta de reclassificação. Comunicações Geológicas (2014) 101, Especial I, 269-273.

Pamplona, J. & Rodrigues, B. (2011). Kinematic interpretation of shearband boudins: new parameters and ratios useful in HT simple shear zones. Journal of Structural Geology 33, 38-50.

Este Monumento Natural corresponde ao troço do Rio Âncora (leito e margens), entre Montaria e Amonde (36 ha). Para além do grande valor paisagístico do local, materializado no bom reconhecimento e apelo que a área tem para a fileira turística, o geossítio preserva duas subunidades da Unidade Minho Central (metassiltitos e metapelitos da subunidade de Arga-alóctone; e xistos e quartzitos cinzentos da subunidade de Torre-Amonde-parautóctone; Meireles et al., 2014), e é uma área importante na compreensão do caráter polifásico da formação de boudins assimétricos (sheared quartz vein a stacked-fold-boudin; cf. Pamplona & Rodrigues, 2011). A área a classificar preserva várias cascatas com desnível superior a 5 m e poços (lagoas). A inflexão do curso, no setor montante, a norte de Espantar, deriva de controlo por falha (Meireles et al., 2014). Carvalhido et al. (2014)


Referências Bibliográficas:

Carvalhido, R., Brilha, J. & Pereira, P. (2014). Monumentos Naturais Locais de Viana do Castelo: processo de classificação e estratégias de valorização. Comunicações Geológicas (2014) 101, Especial III, 1219-1223

Meireles, C.; Pamplona, J. & Castro, P. (2014). Lito e tectono-estratigrafia da Unidade do Minho Central e Ocidental: uma proposta de reclassificação. Comunicações Geológicas (2014) 101, Especial I, 269-273.

Pamplona, J. & Rodrigues, B. (2011). Kinematic interpretation of shearband boudins: new parameters and ratios useful in HT simple shear zones. Journal of Structural Geology 33, 38-50.

Localização

Troço do Rio Âncora (leito e margens) entre a Montaria e Amonde

Coordenadas

Lat: 41,7995234

Long: -8,7414196

Legenda
Tema
Ponto de interesse

Temas

Conheça todos os temas do Cascatas da Ferida Má

Olá pequenote!

Sou o Piquinhos e posso ajudar-te a aprender mais sobre o Geoparque!

Ver detalhes técnicos

Modo Infantil

Conheça o geoparque num formato mais simples e direcionado para os mais pequenos.

Clique ENTER para pesquisar ou ESC para sair